Conheça o processo de Bessemer e a sua revolução na siderurgia

O Processo de Bessemer foi um marco na história da produção do aço, pois permitiu a fabricação desse material de maneira mais rápida e eficiente. Desenvolvido na década de 1850 por Henry Bessemer, um engenheiro inglês, esta técnica industrial impulsionou a popularização deste material na arquitetura urbana e, sobretudo, fez com que se tornasse um dos produtos de melhor custo-benefício do mercado.

Continue lendo o artigo para saber tudo sobre o Processo de Bessemer e por que ele é tão importante.

Leia também: O que faz um funileiro? Saiba mais!

História do Processo de Bessemer

Antes do processo de Bessemer, a produção de aço era bastante limitada e cara. O processo mais comum para produzir o aço era o de refino de ferro fundido em fornos, o que demandava muito tempo e combustível. Além disso, o aço produzido por esse método não era de alta qualidade, limitando seu uso em diversas aplicações.

O processo de Bessemer, por outro lado, consistia em soprar ar quente através do ferro fundido em um recipiente especial chamado de conversor Bessemer. Esse ar oxidava o ferro e eliminava o excesso de carbono e outras impurezas presentes no material. Essa “sopragem” durava cerca de 20 minutos.

O resultado era um aço de alta qualidade que podia ser produzido em grandes quantidades em um curto espaço de tempo – especialmente para o padrão da época. Esse material, além de versátil e acessível, era mais barato do que aquele produzido pelos métodos antigos, o que o tornou popular em diversos setores – como a construção civil, a indústria naval e a fabricação de locomotivas.

O processo de Bessemer também teve um impacto significativo na economia global. Ele permitiu a produção de aço em larga escala, o que impulsionou o desenvolvimento de diversas indústrias ligadas à urbanização. Além disso, o aço mais barato tornou possível a construção de grandes obras de infraestrutura, como pontes e ferrovias, o que contribuiu para o crescimento econômico de diversos países.

O Legado do Processo de Bessemer

No entanto, mesmo com toda a revolução prática e financeira que trouxe, o processo de Bessemer tinha algumas limitações. Ele só podia ser aplicado em ferro fundido com baixo teor de impurezas, por exemplo, o que limitava a fonte de matéria-prima disponível no mercado. Além disso, o processo não permitia a adição de elementos de liga, impedindo o ajuste de suas propriedades de acordo com as necessidades de cada aplicação.

Com o passar do tempo, essas limitações foram resolvidas com o desenvolvimento de novos procedimentos de fabricação, como o processo de Thomas e o processo de Siemens-Martin. Estas técnicas, além de moldarem o aço a partir de matérias-primas de qualidade inferior, permitiam a adição de elementos de liga, personalizando cada uso do metal de forma rápida e eficiente.

Leia também: Preço da chapa de aço por m²

Por que o Processo de Bessemer foi substituído por outros métodos de produção de aço?

Apesar de ser um passo importante na história da produção do aço, revolucionando a indústria siderúrgica e permitindo a produção em larga escala de um material que é essencial para diversas indústrias até hoje, a tecnologia utilizada no processo de Bessemer também abriu caminho para o desenvolvimento de novas técnicas e processos de produção de aço, como os mencionados anteriormente.

Dentre os principais motivos estão:

  • Limitações na matéria-prima: O processo de Bessemer só podia ser aplicado em ferro fundido com baixo teor de impurezas. Isso limitava a fonte de matéria-prima e tornava o processo mais caro. Eventualmente, novos processos foram desenvolvidos, como o processo de Siemens-Martin, que permitiam a produção de aço a partir de matérias-primas de qualidade inferior.
  • Dificuldade na adição de elementos de liga: O processo de Bessemer não permitia a adição de elementos de liga durante a produção do aço, o que limitava a capacidade de ajustar as propriedades de cada aço.
  • Maior eficiência e menor custo: Novos processos de produção de aço foram desenvolvidos com o objetivo de aumentar a eficiência e reduzir o custo de produção. O processo de oxigênio básico, por exemplo, é um método mais eficiente e versátil que o processo de Bessemer, pois utiliza o oxigênio para oxidar o ferro e eliminar impurezas – e permite a adição de elementos de liga durante o processo.
  • Maior controle sobre a qualidade do aço: Os novos processos de produção de aço permitem um maior controle sobre a qualidade do material, garantindo um produto final de alta qualidade e desempenho.

Em resumo, embora o processo de Bessemer tenha sido uma grande inovação na produção do aço, ele acabou sendo substituído por outros métodos mais versáteis e eficientes, como o Processo Open Hearth. No entanto, seu legado na indústria siderúrgica é inegável – e sua contribuição para o desenvolvimento econômico global é inestimável.

Encomende suas peças metálicas com a Bepex!

A Bepex é uma empresa que atua na produção de chapas de metal dos mais variados tipos. Somos referência na produção de chapas expandidas e chapas perfuradas no mercado brasileiro – e de várias outras peças que podem ser empregadas em qualquer ramo industrial.

Durante nossos 30 anos de trabalho, construímos um parque fabril de mais de 10 km² capaz de produzir cerca de 400 toneladas de chapas por mês. E o melhor de tudo: contamos com um sistema de encomenda para os nossos clientes em todo o território nacional. Quer saber mais? Então entre em contato conosco e peça um orçamento – um dos nossos consultores entrará em contato para sanar todas as suas dúvidas o quanto antes.

Postagens Relacionadas
Deixe um comentário